Lua de leite: momento entre mãe e filho após o nascimento

lua-de-leite-lansinoh

A lua de leite acontece no pós-parto, é o momento em que mãe, pai e bebê, se conectam para se conhecerem melhor.

 

Os primeiros dois meses da criança no pós-parto, ou seja, no puerpério, são absolutamente exigentes, principalmente para a mãe e para o bebê.

 

É um novo começo, por isso, a mãe precisa de um período para se adaptar aos cuidados com o pequeno, para estabelecer o aleitamento materno e se ajustar às transformações físicas, hormonais, e fisiológicas que assinalam as primeiras semanas após o nascimento do bebê.

 

Contudo, além de lidar com todas essas transformações, é preciso lidar também com o emocional, estar inteiramente disponível para a criança, encarar as novas mudanças como a falta de sono e dedicar o seu tempo à família.

 

Para o bebê, as modificações também são enormes. Antes, ele estava recebendo tudo o que precisava através da barriga da mamãe, após o seu nascimento, outras necessidades surgiram e por isso agora, ele sente frio, calor, fome, precisa do conforto e aconchego que tinha no útero, de se sentir acolhido e consolado.

 

Entretanto, mesmo que ele seja bem pequeninho e está preparado para viver todas essas novas transformações, o bebê não é independente e necessita de ajuda para suprir suas necessidades básicas.

 

Como vivenciar uma boa lua de leite?

 

  • Contato pele a pele

 

É orientado que o contato pele a pele seja realizado desde o primeiro instante de vida do bebê, pois, é por meio dele que o vínculo afetivo entre mãe e bebê irá se fortalecer e o pequeno se sentirá protegido e acolhido desde o primeiro minuto de vida. Promover o aconchego do bebê junto ao corpo da mãe lhe inspira amor, carinho, conforto, aconchego e consente à mãe o prazer de tocar o seu filho com toda a intimidade.

 

  • Promover o aleitamento materno

 

A amamentação deve começar logo depois do parto, a primeira hora de vida do bebê é importantíssima para promover não só o contato pele a pele, mas também o reflexo de busca e sucção da criança.  Pode ser que o bebê quando colocado em contato com o corpo da mãe, demore aproximadamente 40 minutos para encontrar o seio e iniciar o processo de sucção. Contudo, esse é o momento mais propício para que ele sinta o cheiro, o toque, e conheça a mulher que lhe cuidará com tanto amor para o resto da vida.

 

As primeiras semanas de vida são essenciais para a amamentação bem-sucedida. Por isso, é importante que o aleitamento materno seja trabalhado desde a gestação pelos profissionais de saúde através de muita informação. A mãe munida de conhecimento e com apoio do companheiro e familiares, tem mais chances de ter sucesso com o processo de aleitamento materno.

 

  • Respeite as suas emoções

 

Viva cada momento dessa nova transformação sem culpa. Não seja exigente consigo mesma. Faça apenas o que tiver vontade e ao seu alcance. Mesmo que este não seja o seu primeiro filho, você não é obrigada a estar sempre disposta para receber visitas, “fazer sala” para as pessoas. Se você tem convicção de que neste instante o melhor é reservar esse tempo apenas para se conectar ao seu filho e companheiro, faça-o. E caso esteja muito cansada, esgotada, sempre que o bebê dormir, descanse você também.

 

  • Amanhã será um novo dia

 

No início nada é fácil, mas com o passar do tempo as coisas irão entrar nos eixos, e o que era difícil se tornará mais simples de ser resolvido. Ao longo do tempo, você irá conhecer melhor as necessidades do seu filho e se sentirá mais confiante e tranquila para solucionar qualquer imprevisto. Siga o seu instinto, o instinto de mãe é verdadeiro. Se tiver com dúvidas ou receio de algo, converse com o pediatra e confie em si mesma.

 

  • Deixe as visitas para o companheiro

 

Após o nascimento do bebê, não se sinta obrigada a receber visitas. Claro, existem muitas pessoas queridas que nos fazem feliz e são muito bem-vindas, mas talvez essa não seja a ocasião ideal para recebe-las. Não se sinta culpada por pedi-las que iniciem as visitas em um período mais propenso a isso, onde você se sentirá mais confortável para compartilhar esse momento.

 

Deixe essa gestão para o pai. Não se sinta pressionada com outras atividades que não estejam interligadas ao seu bebê e aos outros filhos. Este tempo é seu, do pai, dos irmãos e do bebê.

 

  • Peça ajuda!

 

Não queira dar conta de tudo sozinha, se precisar de ajuda peça! A sua maior prioridade agora é o seu bebê. As tarefas diárias devem ser compartilhadas com o seu companheiro, ele também precisa tomar frente dos afazeres domésticos, por exemplo. Se recuperar da gravidez também é indispensável, pois só assim você terá energia para vivenciar cada minuto dessa nova rotina.  

 

  • Muito amor para vocês!

 

Aproveite cada momento para fortalecer o vínculo afetivo entre vocês. Fique o máximo de tempo possível grudadinha no seu maior e melhor amor. Dê colo, faça carinho, toque-o, o beije, o abrace, o amamente com tranquilidade, viva da melhor forma cada segundo. Muitas vezes, o amor acontece mais tarde e não se sinta culpada por isso. Com o tempo tudo se encaixará, e o seu emocional se estabilizará. Prefira ambientes tranquilos, cuide-se, não esqueça de si. 

(*) Campos obrigatórios