Os desafios de uma pega corrreta

os-desafios-da-pega-correta

Paciência e observação fazem a diferença para o início do aleitamento materno

 

Um período de aprendizado, tanto para o bebê, quanto para a mamãe. Os primeiros dias (às vezes até semanas) depois do nascimento de uma criança são exatamente assim e, cá entre nós, é absolutamente normal que a mulher se sinta perdida e insegura neste momento, sobretudo no que se refere ao aleitamento materno e à alimentação do bebê. Aliás, uma das preocupações mais correntes nesta hora relaciona-se justamente à pega correta para a amamentação.

 

Para que o aleitamento ocorra de forma adequada, o bebê precisa abocanhar o peito corretamente, ou seja, mais que o mamilo, a boca da criança deve envolver boa parte da aréola. Assim, vai conseguir sugar o leite com facilidade.

 

Fácil?

 

Para algumas mulheres e bebês, é. Para outras, nem tanto.

 

Alguns fatores, como as dores e fissuras que podem surgir nos seios, muitas vezes representam obstáculos importantes na hora de posicionar o bebê de maneira correta e isso faz com que, apesar de menos incômoda, a pega não seja tão eficiente.

 

Se o bebê estiver fazendo barulho ao mamar, por exemplo, pode ser que ele esteja engolindo mais ar do que leite. Se as bochechas ficarem afundadas, como quanto bebemos algo com um canudo, também há algo errado. O ideal é que, além das bochechas arredondadas, como as que fazemos ao mastigar, e do queixo encostado no seio, ao mamar o bebê deve ficar com os lábios voltados para fora, fazendo a famosa “boca de peixinho”. Outro ponto de observação importante relaciona-se ao posicionamento da própria mama, para que ela não obstrua o nariz do bebê e dificulte a sua respiração.

 

É claro que cada bebê é único e apresenta necessidades diferentes, mas se há uma coisa que é igual para toda mãe neste momento é a necessidade de um fator importante: a paciência. Se ainda assim encontrar dificuldades, lembre-se de que hoje existem importantes grupos de apoio à amamentação, assessorias especializadas e bancos de leite que podem auxiliá-la. Combinado?

(*) Campos obrigatórios